Comprovando ser referência nacional na luta em defesa dos precatórios do Fundef para a valorização do Magistério, o Sindicato APEOC foi convidado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Bahia (APLB) para compartilhar a experiência vitoriosa da entidade na batalha pelos precatórios nos municípios cearenses. Esta é a quarta vez que o presidente da APEOC, Anizio Melo, apresenta a luta da entidade para lideranças sindicais da Bahia.

  • APEOC
  • Twitter
  • Google+
  • Gmail
  • APEOC
  • Twitter
  • Google+
  • Gmail

Durante a plenária, Anizio Melo reiterou a importância da união da categoria na luta em defesa dos direitos dos profissionais da Educação, reforçou a parceria entre a APEOC e a APLB, e agradeceu ao presidente da Associação, Rui Oliveira, pelo convite. O dirigente apresentou o histórico de lutas do Ceará e falou sobre os desafios enfrentados para a conquista dos precatórios. Anizio Melo também falou sobre a tese do Sindicato APEOC sobre o Novo Fundeb. O presidente a mobilização para a ampliação do Fundeb, tornando-o permanente, garantido na Constituição, revigorado e com mais recursos do Governo Federal.

Fala, Presidente!

“Ficamos muito felizes com o convite da APLB, para dividirmos a experiência de batalha pelo precatório e o Novo Fundeb. Hoje repactuamos a nossa luta coletiva, que faz frente aos prefeitos e governadores para garantir a valorização de todos os profissionais do Magistério. O Sindicato APEOC extrapolou suas fronteiras, e hoje é referência nacional, tendo um papel histórico muito importante na luta pelos direitos dos trabalhadores da Educação de todo o Nordeste. Esse trabalho da Gestão Na Direção Certa reconhecido na Bahia e em todo o Nordeste nos traz muita satisfação. Como próximo passo, convocamos todos para participar da Audiência Pública que discutirá o Novo Fundeb, que ocorrerá no dia 12 de março, a partir das 14h, no Auditório Murilo Aguiar, na Assembleia Legislativa, em Fortaleza. Queremos continuar avançando! É o Ceará e a APEOC rompendo barreiras e fazendo a luta onde quer que sejamos chamados.”